quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Treino do Espírito em Oito Estâncias


Todos os seres animados são-me mais preciosos
Que o Chintamani que cumpre todos os votos:
Com o pensamento de realizar o seu bem supremo,
Possa eu constantemente conhecer o seu valor.

Possa eu, em qualquer companhia,
Ver-me como o mais pequeno
E prezar o meu próximo
Pela sua supremacia!

Em todo o acto observarei o meu espírito.
Surgindo aí a mínima paixão,
Causa de todos os nossos tormentos,
Afrontá-la-ei e evitá-la-ei firmemente.

Quando vir um ser malévolo
Esmagado sobre os males que inflige e sofre,
Possa eu amá-lo então, este ser que se encontra
Tão raramente como um tesouro!

Vítima do ciúme,
Alvo de injúria e de desprezo,
Que a derrota me aconteça:
Deixo a vitória a outrem!

Ó tu que ajudei,
Em quem pus todas as minhas esperanças,
Injustamente te voltas contra mim:
Ter-te-ei pelo meu mestre sublime

Possa eu, directa e indirectamente,
Vos ceder, mães queridas, toda a felicidade e todo o bem,
E secretamente tomar sobre mim
Os vossos males e todos os vossos sofrimentos.

Que nisto não me altere a mancha
Conceptual das oito mundanidades:
Quando reconhecermos que tudo é ilusório,
O puro desapego desatará todos os nossos laços.

por
Langri Thangpa

fonte: O Caminho para a Serenidade 
Dalai Lama - Organização de Renuka Singh

Nenhum comentário:

Postar um comentário