sábado, 26 de fevereiro de 2011

Amizade (Eclesiástico 6,5-17)

Uma palavra amena
multiplica os amigos
e acalma os inimigos;
uma língua afável
multiplica as saudações.
Sejam numerosos os que te saúdam,
mas teus conselheiros,
um entre mil.
Se queres adquirir um amigo,
adquire-o na provação;
e não te apresses em confiar nele.
Porque há amigo de ocasião,
que não persevera no dia da aflição.
Há amigo que passa para a inimizade,
e que revela as desavenças
para te envergonhar.
Há amigo que é companheiro de mesa
e que não persevera
no dia da necessidade.
Quando fores bem-sucedido,
ele será como teu igual e,
sem cerimônia,
dará ordens a teus criados.
Mas, se fores humilhado,
ele estará contra ti
e se esconderá da tua presença.
Afasta-te dos teus inimigos
e toma cuidado com os amigos.
Um amigo fiel é poderosa proteção:
quem o encontrou,
encontrou um tesouro.
Ao amigo fiel
não há nada que se compare,
é um bem inestimável.
Um amigo fiel é um bálsamo de vida;
os que temem o Senhor
vão encontrá-lo.
Quem teme o Senhor,
conduz bem a sua amizade:
como ele é, tal será o seu amigo.
Eclesiástico 6,5-17
+++
Dedico este posting, com muito carinho,
a todos os meus amigos.
Aos meus amigos de ontem,
aos meus amigos de hoje
e aos meus amigos de Sempre.
Foi esta a leitura de ontem na Eucaristia,
e impressionou-me pela sua simplicidade e importância.
Tocou-me particularmente porque os amigos
deveriam ser para toda a vida mas muitas vezes
seguimos caminhos que nos separam completamente,
a velocidades vertiginosas e assustadoras.
Por vezes é muito difícil parar...
Aqui deixo o meu voto sincero,
de que nestas viagens alucinantes,
consigamos ter, pelo menos, alguns momentos de paragem
para nos lembrarmos dos nossos amigos.
E peço ainda que, ao longo da vida e depois,
os nossos caminhos se cruzem sempre
que Deus assim o permita.

Obrigado
e até sempre,
Filipe.
+++

Nenhum comentário:

Postar um comentário