sábado, 26 de fevereiro de 2011

Perdeu-se o sentido do nós

O Cardeal Patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, manifesta a sua preocupação com o crescente individualismo e a força do relativismo na sociedade.

“Os nossos políticos hoje estão a gerir conflitos de uma sociedade de indivíduos, perdeu-se o sentido do «nós». Isso é essencial para o ser humano e para uma visão cultural do Cristianismo e essa está difícil, porque atingiu a própria Igreja. Tem-se perdido muito este sentido da comunidade e da comunhão”, afirma o Patriarca.

D. José Policarpo falava numa sessão comemorativa dos seus 75 anos, realizada esta sexta-feira na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa.

No seu discurso, o Cardeal Patriarca referiu, também, que a Igreja está a ter uma visão muito pessimista da História e, por isso mesmo, é preciso ter esperança e acreditar na pessoa humana.

D. José Policarpo comemora 75 anos de vida e 50 de sacerdócio, etapas de uma vida de serviço á igreja e à causa da evangelização. Traços de uma vida lembrados neste colóquio, onde Manuel Braga da Cruz, reitor da Universidade Católica, sublinhou o sentido de proximidade de D. José Policarpo nas diversas missões nesta universidade: professor, reitor e magno chanceler.

Depois, o professor de Direito, Bigotte Chorão, lançou algumas farpas aos lideres políticos da Europa. “Os ordenamentos político-jurídicos nacionais e europeus carregam consigo um pesado fardo de motivações hedonistas e permissivistas, laicistas e mesmo num impressionante crescendo de intolerante cristianofobia”, acusou Bigotte Chorão.
in Rádio Renascença

"Tem-se perdido muito este sentido da comunidade e da comunhão", alerta D. José Policarpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário