domingo, 29 de maio de 2011

Refletindo sobre o sacrifício (Paulo Coelho)

Quem luta pelos seus sonhos
a] trabalha mais que os outros,
b] se envolve com os menores detalhes,
c] sofre decepções,
d] não consegue dormir algumas noites
e] e, muitas vezes, fica tenso e assustado.

Os outros dizem: “coitado, olha só o sacrifício que fulano está fazendo!”.

E vão para o trabalho, cumprem por obrigação as oito horas diárias, ficam esperando o final semana, e despencam num domingo cujo principal terror é a segunda-feira.

Entretanto, aquele que dedicou seu trabalho à causa maior sabe o que quer dizer “sacrifício”: a fusão de “sacro” e “ofício”, ou seja, o trabalho sagrado.

Então, apesar de todas as dificuldades, o que faz tem um sentido. Sua vida não se resume a esperar um final de semana que passa logo.

Quem dedica seu trabalho a uma causa maior tem a eternidade para deliciar-se com seus sonhos.
fonte: Paulo Coelho's Blog

Só existe um inferno (Louis Evely)

«Só existe um inferno e talvez já o tenhais conhecido: é o lugar onde nada se espera, onde não se ama absolutamente ninguém e de ninguém se atende absolutamente nada, onde se não tem confiança em ninguém...

Isto é a tentação. A nossa tentação. De todos. É o pecado infernal que nos assediará até ao fim dos nossos dias: a instalação definitiva no canto (onde nos deixarão em paz, onde acabaremos por não sofrer mais, por não escutar mais nenhum apelo, onde a dilacerante comunicação será, por fim, cortada. Extinta).
Isto é Inferno. Ter perdido o gosto de amar - para não sofrer mais.»
Louis Evely
Fonte: Conhecer e Seguir Jesus

sábado, 28 de maio de 2011

A miúda mais gira (Matty Braps)


fonte: Zimbórios
Visit: http://www.youtube.com/mattybraps

Jesus Cristo mudou meu viver


Jesus Cristo mudou meu viver
Jesus Cristo mudou meu viver
É a luz que ilumina meu ser
Sim, Jesus Cristo mudou meu viver

Diferente hoje é o meu coração
Diferente hoje é o meu coração
Cristo deu-me paz e perdão
Sim, diferente hoje é o meu coração

O amor só conhecia em canções
Que falavam de ilusões
Mas tudo agora é diferente,
Cristo fala com a gente
Pois Cristo deu-me seu amor

Jesus Cristo mudou meu viver
Jesus Cristo mudou meu viver
É a luz que ilumina meu ser
Sim, Jesus Cristo mudou
Ele mudou meu viver

O amor só conhecia em canções
Que falavam de ilusões
Mas tudo agora é diferente,
Cristo fala com a gente
Pois Cristo deu-me seu amor

Diferente hoje é o meu coração
Diferente hoje é o meu coração
Cristo deu-me paz e perdão
Sim, diferente hoje é o meu coração

Jesus Cristo mudou meu viver...
Fonte: Jesus Cristo mudou meu viver ( Aline Barros )
Visite: Som Maior

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Urgentes os sorrisos (RR)


São urgentes os sorrisos.
Corroem-nos dores, dúvidas e tantas incertezas.
São urgentes, Senhor, sorrisos ou palavras, que digam Alegria.
Por tudo isto quero nesta manhã louvar aquele senhor que numa bicicleta velha com um rádio ligado no volume mais alto, percorre firme e convicto as ruas do meu bairro e as vai enchendo de canções.
Oiço pequenos grupos às esquinas. Quem é este homem? Deve ter um problema qualquer. É LOUCO.
Bendigo, Senhor, esta loucura.
Tantas vezes os profetas foram chamados loucos.
Os poetas também.
E são deles os gestos essenciais.
Os nossos dias, agora tão cheios de sol, estão prisioneiros de medos e mais parecem noites de pesadelo.
Este senhor insiste e como por milagre enche as ruas de música e alegria. Finalmente sorrimos.
Louvados sejam, Senhor, todos quantos Te anunciam assim e dizem a Alegria contra todas as correntes.
Maria Teresa Frazão
fonte: Oração da Manhã (Rádio Renascença)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Planeta Humano / Human Planet (BBC)


+++
Human Planet is an awe-inspiring, jaw-dropping, heart-stopping landmark series that marvels at mankind's incredible relationship with nature in the world today.

Uniquely in the animal kingdom, humans have managed to adapt and thrive in every environment on Earth. Each episode takes you to the extremes of our planet: the arctic, mountains, oceans, jungles, grasslands, deserts, rivers and even the urban jungle. Here you will meet people who survive by building complex, exciting and often mutually beneficial relationships with their animal neighbours and the hostile elements of the natural world.

Human Planet crews have filmed in around 80 locations, bringing you many stories that have never been told on television before. The team has trekked with HD cameras and state of the art gear to film from the air, from the ground and underwater. The result: a "cinematic experience" created by world-class natural history and documentary camera crews and programme makers.
in http://www.bbc.co.uk/humanplanet

domingo, 22 de maio de 2011

Desculpe os seus rompantes


Não importa quem você seja- ou quão controlado você é- há momentos em que simplesmente nos ”perdemos”. Na maior parte das vezes, perder o controle não é problema algum. Você se aborrece e eleva a voz. Ou se sente vítima de alguma coisa ou acha que ninguém o valoriza. Você ergue as mãos para o alto em profundo desgosto. Fica tão estressado que pensa que vai ”pirar”. Pode resmungar ou esbravejar, ou pode dar socos ou atirar coisas. Mas, ao menos que você efetivamente se machuque ou machuque alguem, é importante esquecer seu rompante, admitir que é apenas humano, ir adiante e fazer votos para ser menos descontrolado dali em diante. É o melhor que pode fazer.
Problema pior do que o rompante em si, é a maneira como nos culpamos depois. Nós nos convencemos de que somos pessoas más, ou que nossa atuação é deplorável. Nós nos sentimos horríveis e ocupamos nossa mente com pensamentos negativos e de autocompaixão. Infelizmente essa conversa íntima culposa não desperta em nós nada positivo – e pode até nos incentivar a repetir precisamente o comportamento que tanto perturbou, justamente porque insistimos em manter nossa atenção focada nele.
Ao longo de minha carreira, conheci algumas pessoas extraordinárias, entre elas um bom número de terapeutas conhecidos mundialmente e autores cuja especialidade é fazer as pessoas se apaziguarem.
Alguns deles são de fato pessoas muito amorosas e pacíficas. Nenhum deles no entanto revelou-se imune a ocasionais rompantes de frustração. Todos são humanos e necessitam de perdão! Especialmente Você!
Tornar-se uma pessoa mais pacífica especialmente no ambiente domestico, e um processo, não uma meta. É muito comum ouvir pessoas dizerem: ” Aprendi a ser uma pessoa que reage menos e agora estou mais feliz do que antes, mas ainda perco a cabeça volta e meia”. Minha resposta é quase sempre: ” Parabens! Você está indo muito bem! ”.
Uma das chaves para se perdoar rapidamente é admitir que você se descontrolou, e que provavelmente vai fazê-lo muitas outras vezes. Que bom. A peça mais importante do quebra-cabeça é a que lhe diz que você está se movimentando na direção certa. Tão logo aprenda a perdoar seus rompantes, se tornará muito mais fácil oferecer a mesma complacência aos outros. Na minha casa, por exemplo eu até gosto quando aqui e ali uma das crianças ou Kris se descontrola, porque me dá a oportunidade de praticar a compaixão e me faz lembrar que estamos no mesmo barco. Eu sei como elas se sentem.
Minha aposta é que se você for mais complacente com relação aos seus próprios rompantes e aos dos outros, as depressões que sente e a tendência a fazer uma tempestade num copo de água em casa diminuirão substancialmente.
fonte:
Não Faça Uma Tempestade num Copo de Água
com a Família
(Richard Carlson 1961-2006)
+++

sábado, 21 de maio de 2011

Beatificação da irmã Maria Clara


Lisboa, 07 Fev (Ecclesia)

A beatificação da irmã Maria Clara do Menino Jesus (1843-1899) vai ter lugar a 21 de Maio, no Estádio do Restelo, Lisboa, anunciou hoje a Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição (CONFHIC), fundada pela futura beata.

Segundo o comunicado oficial, “espera-se um significativo número de participantes, não só de Portugal, como delegações dos 14 países” onde se encontra a CONFHIC.

A irmã Fátima Martins, do Departamento de Comunicação do Secretariado que prepara a beatificação, revelou à Agência ECCLESIA que a escolha do Estádio do Restelo se fica a dever ao seu “espaço amplo”, no qual as pessoas “podem estar sentadas”.

O presidente da celebração ainda não é conhecido, mas a irmã Fátima Martins adianta duas hipóteses: “D. José Policarpo ou o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos (Cardeal Angelo Amato)”.

«Maria Clara, um rosto de ternura e da misericórdia de Deus» é o slogan escolhido para a celebração, que vai ser preparada com “iniciativas de divulgação e formação” sobre a futura beata.

Nos próximos tempos será publicada uma obra sobre Madre Maria Clara e na celebração de 21 de Maio "será distribuído um opúsculo (30 a 40 páginas) sobre a vida e obra” da religiosa, precisa a irmã Fátima Martins.

O ritual da beatificação inclui a leitura da Carta Apostólica e a “chamada procissão das relíquias”, que neste caso será “um osso da Madre Maria Clara”.

O processo conheceu o seu ponto culminante quando, no dia 10 de Dezembro de 2010, Bento XVI assinou o Decreto de aprovação do milagre atribuído à intercessão da Irmã Maria Clara, relativo à cura de uma católica espanhola, Georgina Troncoso Monteagudo, afectada por um grave problema de pele.

Libânia do Carmo Galvão Meixa de Moura Telles e Albuquerque nasceu na Amadora, em Lisboa, a 15 de Junho de 1843.

Recebeu o hábito de Capuchinha, em 1869, escolhendo o nome de Irmã Maria Clara do Menino Jesus.

A futura beata foi enviada a Calais, França, a 10 de Fevereiro de 1870, para fazer o noviciado, na intenção de fundar, depois, em Portugal, uma nova Congregação.

Abriu a primeira comunidade da CONFHIC em S. Patrício - Lisboa, no dia 3 de Maio de 1871 e, cinco anos depois, a 27 de Março de 1876, a Congregação é aprovada pela Santa Sé.

A «Mãe Clara», como é popularmente conhecida, morreu em Lisboa, no dia 1 de Dezembro de 1899 e o processo de canonização viria a iniciar-se em 1995.

Os seus restos mortais repousam na Cripta da Casa-Mãe da Congregação, em Linda-a-Pastora, onde “acorrem inúmeros devotos a implorar a sua intercessão junto de Deus”, diz Fátima Martins.

O milagre atribuído à religiosa ocorreu a 12 de Novembro de 2003, em Baiona (Espanha), numa “devota” que, em 1998, foi ao seu túmulo e pediu a cura de um pioderma gangrenoso (doença cutânea ulcerativa).

A CONFHIC adiante que Georgina Troncoso Monteagudo deve estar presente na beatificação da «Mãe Clara».
+++

+++
Esta religiosa do século XIX vai juntar-se, assim, a cinco portugueses beatificados nos últimos dez anos: os Pastorinhos Francisco e Jacinta, de Fátima (13 de Maio de 2000); frei Bartolomeu dos Mártires (4 de Novembro de 2001); Alexandrina de Balasar (25 de Abril de 2004, no Vaticano) e Rita Amada de Jesus (28 de Maio de 2006, em Viseu). Também neste período foi beatificado o Imperador Carlos de Áustria (3 de Outubro de 2004), que faleceu no Funchal.

A estas beatificações soma-se a canonização de Nuno Álvares Pereira, o Santo Condestável, que aconteceu a 26 de Abril de 2009, no Vaticano.

A beatificação, que antecede a canonização (declaração de santidade), é o rito através do qual a Igreja Católica propõe uma pessoa como modelo de vida e intercessor junto de Deus, ao mesmo tempo que autoriza o seu culto público, normalmente em âmbito restrito (diocese ou família religiosa).
LFS/OC

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Contradição que nos dilacera… (RR)

Oração da Manhã - 19 de Maio (RR)


Mais um dia de vida cheio de rotinas, programações, horários, como ontem e antes de ontem e nos outros dias. É assim a vida do dia a dia. Mas cada dia é também uma surpresa; um nascer de novo; um recomeçar sem saber onde cada passo nos conduzirá.
O que vai acontecer pelo caminho? quem vamos cruzar? que palavras vamos ouvir? como vamos reagir? o que nos vai dar grande alegria e o que nos vai entristecer e fazer chorar?
Cada dia é a revelação do que ontem era futuro e que se realiza presente, hoje.
Mas tantas vezes transportamos para o presente os pesos dos dias passados, as dores, as frustrações, as vinganças e lamentações, contaminando com o olhar, com o toque, com a palavra, o novo que logo fica velho, sem viço, sem novidade e sem vida nova.
Inspira-nos, Senhor do tempo, Senhor das noites e dos dias, a serenidade para seguir em frente neste dia, atravessando a confiança e a dúvida, a alegria e a tristeza, o perdão e a culpa; inspira-nos a serenidade para seguir em frente, percebendo que esta espécie de contradição, que nos dilacera por dentro, é sinal de uma humanidade que, tacteante, caminha por si fora rumo a uma plenitude possível.
Isabel Varanda
Fonte: Rádio Renascença
+++
+++

+++

sábado, 14 de maio de 2011

Eu pedi a Deus


+++
Eu pedi a Deus que tirasse meu orgulho.
E Deus disse não!
Não Lhe cabia tirá-lo, mas a mim deixá-lo...

Eu pedi a Deus que me desse paciência.
E Deus disse não!
Ele disse que a paciência nasce das atribulações;
Ela não é concedida, é merecida...

Eu pedi a Deus que me concedesse felicidade.
E Deus disse não!
Ele disse que me daria Suas bênçãos;
A felicidade viria de mim mesmo...

Eu pedi a Deus que me poupasse do sofrimento.
E Deus disse não!
Ele disse que a dor afasta-me das ilusões da vida
e leva-me para mais perto d’Ele...

Eu pedi a Deus que me fizesse crescer minha vida espiritual.
E Deus disse não!
Ele me disse que eu deveria crescer sozinho,
mas Ele vai podar-me como um ramo,
para que produza frutos...


Eu perguntei a Deus se Ele me ama.
E Deus disse sim!
Ele deu-me Seu Único Filho, que morreu por mim
E quer-me um dia no céu, pela minha Fé...

Então, pedi a Deus que me ajudasse
a amar os outros como Ele me ama.
E Deus disse:
"Finalmente compreendeste!"
in Blue Eyes

domingo, 8 de maio de 2011

Maio - Mês de Maria (O Banquete da Palavra)


+++
MISSIONÁRIA E MÃE
DOMINGO, 8 DE MAIO DE 2011
Partilho um texto do Padre Zezinho, neste mês de Maio, dedicado a Maria...
Fonte: O Banquete da Palavra

Não está escrito em nenhum lugar da Bíblia que Jesus enviou Maria em alguma missão. Também não está escrito que não enviou. O que está escrito é que Ele, em missão, se fazia acompanhar, coisa rara naquele tempo, também de mulheres missionárias, que mesmo não pregando, estavam lá no grupo com ele e os discípulos. Seguiram Jesus desde a Galiléia para cuidar de suas necessidades ( Mt 27,55) O cristianismo começou com homens missionários e mulheres missionárias, já que ser missionário não significa apenas pregar a palavra, mas leva-la e ajudar a leva-la. Elas estavam lá firmes na caminhada, ao pé da cruz, no enterro e na ressurreição. Na sua morte, entre as mulheres, estavam, Maria Madalena, Salomé, Maria, mãe de Tiago, de José, de Simão e de Judas (Mt 13,55; Jd 1,1 ; Mc 15,40) Os filhos desta Maria missionária eram chamados irmãos de Jesus. Mas não era a mesma Maria de José, a mãe de Jesus? - Há uma confusão nos evangelhos ( Mt 13,55) mas logo depois ela se desfaz em outras passagens quando se atribui aos mesmos um outro pai: Alfeu. Então havia uma Maria de Alfeu e uma Maria de José, esta a mãe de Jesus. As duas, missionárias.
E então? É impensável que Jesus tenha chamado estas mulheres para a missão sem ter chamado Maria. Até porque viveram juntos mais de 30 anos e Maria estava lá, firme ao pé da cruz, como estivera firme em momentos importantes da sua vida. E estava lá quando o Espírito Santo veio sobre os presentes. As línguas de fogo não pousaram só nos homens. Nos Atos se lê que o fenómeno aconteceu com todos os presentes. ( At 2,4) Lá se lê que entre eles estava Maria, sua mãe, seus “irmãos”que já sabemos que tinham outra mãe e as outras mulheres.(At 1,14) Nossas Igrejas ensinam que o Espírito Santo não vem apenas para os pregadores. Os que estavam lá orando ( At 1,14) eram missionários e todos receberam o Espírito Santo.
Quando pois proclamamos Maria missionária, porque ora com os discípulos e com as outras mulheres, porque que age e intercede pelos outros como nas bodas de Caná, porque não se afasta dele por nada, desde o berço até à cruz, estamos falando da mãe que deu todo o apoio ao filho e com quem ele pôde contar o tempo todo. Se, por anunciarmos Jesus, alguém nos chama de missionários, imaginem Maria! Alguém amou e entendeu Jesus mais do que ela?
Entre nós católicos, Outubro o mês das missões é também dedicado a ela. Nem podia ser de outra forma... Ninguém foi tão comprometido com ele quanto sua mãe. Acostumemo-nos a vê-la dessa forma. Perto dessa missionária não há católico nem evangélico que não se curve respeitoso... Se o título cabe aos apóstolos e a nós cabe também a ela. Com muito mais mérito e razão.

Santa Madalena de Canossa


Hoje, na missa a que assisti em Barcarena, recordou-se Santa Madalena de Canossa. No final da cerimónia, as Irmãs Canossianas ofereceram aos presentes um panfleto e um postal muito simpático, com uma oração e 3 chocolates. O panfleto, intitulado "A plenitude do Amor", dá a conhecer a sua vida. Procurei a informação deste panfleto na internet mas como não a encontrei, tomo a iniciativa de aqui partilhar o seu conteúdo, com muita gratidão:

"A plenitude do Amor"
Verona - Casa Mãe
Filhas da Caridade Canossianas

Onde Nasce
   Madalena de Canossa dá início à sua obra aos 34 anos, depois de uma longa e dolorosa procura da missão que Deus lhe destinava.
  Nasce em Verona, no dia 1 de Março de 1774, numa família nobre. É a terceira de cinco filhos do Conde Ottavio e da Condesas Szluha.
  Deus guia Madalena por estradas imprevisíveis que ela com esforço e dificuldade procura compreender, desde a morte do pai, ao abandono da mãe, à doença e à incompreensão.
  Aos 17 anos, pensa ser chamada à vida de clausura e por duas vezes faz a experiência  no Carmelo.

Os seus sonhos
  Na sua indefesa actividade e grande responsabilidade familiar, Madalena, encontra tempo para se dedicar à oração, à contemplação do Amor de Cristo na Cruz e de Nossa Senhora das Dores.
  Estimulada pelo Amor imenso de Deus, abre-se ao grito dos pobres famintos de pão, de instrução e de Deus.

As suas realizações
  Em 1808, depois de superar as últimas resistências da parte da sua família, deixa o palácio Canossa para dar início, em Verona, ao que ela interiormente reconhece ser a vontade do Senhor, servir Cristo nos pobres.
  O Amor em Madalena é como o fogo que se espalha cada vez mais e leva-a a abrir o coração às urgentes necessidades de outras cidades como Veneza, Milão, Bérgamo, Trento ...
  E em poucas décadas de anos funda novas casas, novas comunidades, onde as Madres Canossianas, com o mesmo zelo da Fundadora, procuram fazer com que "Jesus seja conhecido e amado". Madalena obtém a aprovação da regra em 1828. Morreu em Verona, assistida pelas primeiras irmãs que com ela iniciaram o Instituto, morre a 10 de Abril de 1835. A 7 de Dezembro de 1941, foi proclamada Beata pelo Papa Pio XII. No dia 2 de Outubro de 1988, é proclamada Santa, pelo Papa João Paulo II.

Madalena aberta ao mundo
  O Espírito das Filhas da Caridade é "serem desapegadas de tudo... e, pelo serviço de Deus, disponíveis para ir até ao país mais longínquo".
(Madalena, Ep.II/1, p. 266)

S. Maddalena di Canossa
  Animadas pelo fervor apostólico de Madalena, as Filhas da Caridade embarcaram pela primeira vez, em 1860, para o Extremo Oriente,a fim de difundir "a Boa Nova" entre os povos que ainda não conheciam o anúncio evangélico.
  Hoje, o Instituo das Filhas da Caridade está presente nos cinco continentes.

Filhas da Caridade
  Madalena de Canossa é também Fundadora do Instituto dos Filhos da Caridade. Eles, durante cerca de um século, resistiram às dificuldades próprias do seu crescimento na Igreja.
  Mas, como é necessário que o grão de trigo morra para dar muito fruto, os Canossianos viveram este tempo de espera na fidelidade ao Carisma e sobretudo no humilde e generoso serviço aos pobres e desprotegidos.
  Nos nossos dias, os Filhos da Caridade estão presentes em diversos países do mundo, a testemunhar aquele grande Amor Grande que abraça sem distinção, todos os irmãos.

Movimento Laical Canossiano
  "Jesus não é amado porque não é conhecido"
(Madalena, R.s.s., I, p. 180)
  O chamanento apostólico de Santa Madalena estende-se aos leigos, que, em sintonia com o seu Carisma radicado no Espírito de Jesus Crucificado, querem colaborar no seu ambiente de vida e de trabalho na difusão do Reino de Deus.

Oração
Ó Deus, Pai de bondade,
que quiseste manifestar
aos humildes e às crianças
o Teu amor,
suscitando na Igreja
SANTA MADALENA
DE CANOSSA
como serva dos pobres,
concede-nos a graça
de Te procurarmos acima de tudo
e de servir os pobres e os desprotegidos
em espírito de caridade e de humildade.
Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Teu Filho,
que é Deus, e vive e reina contigo
na unidade do Espírito Santo,
por todos os séculos.
Ámen.
+++
Filhas da Caridade Canossianas 
Rua Cândido dos Reis, 12 - Queluz de Baixo
2730-041 - Barcarena
Tel. 21 4351982, E-mail: i.canossiano@clix.pt
Portugal

Patronato Canossiano
Nossa Senhora da Conceição
C.P. 162
Tel. 2 21 565, E-mail: canosstp@cstome.net
São Tomé (Africa Ocidental)

Filhas Caridade Canossianas
N. Senhora da Paz
R.3 Bairro Cassenda - C.P. 5064 Luanda
Tel. 2 22 35 42 41, E-mail: canossianas@snet.co.ao
Angola

O vídeo que os finlandeses têm de ver


Vídeo: Câmara de Cascais
+++
É o novo fenómeno das redes sociais:
o vídeo que os finlandeses "têm de ver"
Inserido em 06-05-2011 20:47
+++
São seis minutos e 43 segundos de história, de geografia, de demografia, enfim, de factos sobre um país que acaba de ser resgatado. O objectivo é mostrar aos finlandeses tudo o que é preciso saber sobre Portugal (e é provável que os próprios portugueses descubram feitos inesperados).

Um vídeo que passou nas Conferências do Estoril é o novo fenómeno das redes sociais. São seis minutos e 43 segundos de história, de geografia, de demografia, enfim, de factos sobre um país que acaba de ser resgatado. O objectivo é mostrar aos finlandeses tudo o que é preciso saber sobre Portugal (e é provável que os próprios portugueses descubram feitos inesperados). O vídeo tem um "a priori": os finlandeses andam renitentes em entrar na ajuda financeira a Portugal. Há muito por descobrir nesta história - é só clicar no "play" em cima.
in Rádio Renascença

Eu Sou Aquele que Sou (Deus É)

Deus é a plenitude do Ser e de toda perfeição

A partir do ensinamento do Catecismo da Igreja Católica, iniciamos breves catequeses sobre nossa profissão de fé: o Credo, o "Eu Creio".

"Creio em Deus" é a primeira e fundamental afirmação de nossa fé.

Cremos num só Deus. Só existe um Deus, como Ele próprio revelou ao seu povo, o povo de Israel: "Ouve, ó Israel: o Senhor nosso Deus é o único Senhor! Portanto, amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma e com toda a tua força" (Dt, 4-6). Fora d Ele não há outros deuses.

Este é também o ensinamento de Jesus: só há "o único Senhor". É preciso amá-Lo de todo o coração, com toda a alma, com todo o espírito e com todas as forças (Mc 12, 29-30).

Este único Deus revelou, um dia, a seu povo, Israel, o seu nome. Como diz o Catecismo da Igreja Católica, "o nome exprime a essência, a identidade da pessoa e o sentido de sua vida. Deus tem um nome... Desvendar o próprio nome é dar-se a conhecer aos outros".

Deus se revelou progressivamente ao seu povo com diversos nomes. Mas, a revelação fundamental de seu nome se deu no monte Sinai. Deus chama Moisés do meio de uma sarça que queima sem consumir-se e diz: "Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó" (Ex 3,6). É ele o Deus dos antepassados de Israel. Aquele que guiara os patriarcas em suas peregrinações.

E Moisés disse a Deus: "Quando eu for aos filhos de Israel e disser: “O Deus de vossos pais me enviou até vós” e me perguntarem: “Qual é o seu nome?”, que direi?" Disse Deus a Moisés: "Eu sou Aquele que é". Disse mais: "Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou até vós... Este é o meu nome para sempre, e esta será a minha lembrança de geração em geração" (Ex 3,13-15).

Eu Sou Aquele que sou, isto é, "Eu sou o Deus de teus pais" (Ex.3,6). "Eu estarei contigo" (Ex 3,12). Eu sou aquele que estou presente junto ao meu povo para salvá-lo.

Eu Sou Aquele que Sou se traduz em hebraico pela palavra Iahweh. Este é o nome inefável de Deus.

Por respeito à santidade desse nome, o povo de Israel jamais pronuncia o nome Iahweh. Substitui por outro Adonai, que significa Senhor.

Deus se manifestou a Moisés como o Deus de ternura e compaixão (Ex 34,6). Moisés confessa que ele é o Deus que perdoa (Ex 34,9). É "rico em misericórdia" (Ef 2,4), como fala o apóstolo Paulo.

Eu Sou Aquele que Sou significa também que Deus é a plenitude do Ser e de toda perfeição. É o próprio ser. Não tem origem nem fim. Ao passo que as criaturas receberam dele todo o seu ser e o seu ter.
Dom José Freire Falcão
Cardeal Arcebispo Emérito de Brasília
29/07/2005 - 15h21
fonte: Canção Nova

A Vida é Bela


+++

sábado, 7 de maio de 2011

Milagre

Há duas formas para viver a sua vida.
Uma é acreditar que não existe milagre.
A outra é acreditar
que todas as coisas são um milagre.
Albert Einstein
in Pensador

quinta-feira, 5 de maio de 2011

REZEM O TERÇO TODOS OS DIAS...

«Rezem o terço todos os dias,
para alcançarem a paz para o mundo.»
13 de Maio de 1917
fonte: Centro de Difusão da Mensagem de Fátima

Três Ave-Marias


Como Santa Matilde suplicasse à Santíssima Virgem que a assistisse na hora da morte, ouviu que a benignissima Senhora lhe disse: "Sim o farei; mas quero que por sua parte me rezes diariamente três Ave-Marias.

A primeira Ave-Maria, pedindo que assim como Deus Pai me elevou a um trono de glória sem igual, fazendo-me a mais poderosa no céu e na terra, assim também eu te assista na terra para fortificar-te e afastar de ti toda potestade inimiga.

A segunda Ave-Maria, me pedirás que assim como o Filho de Deus me concedeu a sabedoria, em tal extremo que tenho mais conhecimento da Santíssima Trindade que todos os Santos, assim eu te assista na passagem da morte para encher tua alma das luzes da fé e da verdadeira sabedoria, para que não a obscureçam as trevas do erro e ignorância.

A terceira Ave-Maria, pedirás que assim como o Espírito Santo me concedeu as doçuras de seu amor, e me tem feito tão amável que depois de Deus sou a mais doce e misericordiosa, assim eu te assista na morte enchendo tua alma de tal suavidade de amor divino, que toda pena e amargura da morte se troque para ti em delicias."

A prática desta devoção consiste em rezar todos os dias três Ave-Marias agradecendo à Santíssima Trindade os dons de Poder, Sabedoria e Amor que outorgou à Virgem Imaculada, e pedindo a Maria que use deles em nosso auxílio.

Modo de praticar esta devoção: Todos os dias, rezar o seguinte:

Maria, Mãe minha; livrai-me de cair em pecado mortal!
1- Pelo o Poder que te concedeu o Pai Eterno. Rezar uma Ave-Maria.
2- Pela Sabedoria que te concedeu o Filho. Rezar uma Ave-Maria.
3- Pelo Amor que te concedeu o Espírito Santo. Rezar uma Ave-Maria.
in Últimas e Derradeiras Graças

terça-feira, 3 de maio de 2011

O Bosque



Tempos atrás eu era vizinha de um médico cujo "hobby" era plantar árvores no enorme quintal de sua casa. Às vezes, observava da minha janela o seu esforço para plantar árvores e mais árvores, todos os dias. O que mais chamava a atenção, entretanto, era o fato de que ele jamais regava as mudas que plantava.

Passei a notar, depois de algum tempo, que suas árvores estavam demorando muito para crescer. Certo dia, resolvi então aproximar-me do médico e perguntei se ele não tinha receio de que as árvores não crescessem, pois percebia que ele nunca as regava. Foi quando, com um ar orgulhoso, ele me descreveu sua fantástica teoria.

Disse-me que, se regasse suas plantas, as raízes se acomodariam na superfície e ficariam sempre esperando pela água mais fácil, vinda de cima. Como ele não as regava, as árvores demorariam mais para crescer, mas suas raízes tenderiam a migrar para o fundo, em busca da água e das várias fontes nutrientes encontradas nas camadas mais inferiores do solo. Assim, segundo ele, as árvores teriam raízes profundas e seriam mais resistentes às intempéries. Essa foi a única conversa que tive com aquele meu vizinho.

Logo depois fui em outro lugar, e nunca mais o encontrei. Vários anos depois, ao retornar fui dar uma olhada na minha antiga residência. Ao aproximar-me, notei um bosque que não existia antes. Meu antigo vizinho havia realizado seu sonho!

O curioso é que aquele era um dia de um vento muito forte e gelado, em que as árvores da rua estavam arqueadas, como se não estivessem resistindo ao rigor do inverno, entretanto, ao aproximar-me do quintal do médico, notei como estavam sólidas as suas árvores: praticamente não se moviam, resistindo implacavelmente àquela ventania toda. Que efeito curioso, pensei eu... As adversidades pela qual aquelas árvores tinham passado, tendo sido privadas de água, pareciam tê-las beneficiado de um modo que o conforto o tratamento mais fácil jamais conseguiriam.

Todas as noites, antes de ir me deitar, dou sempre uma olhada em meus filhos, debruço-me sobre suas camas e observo como têm crescido. Freqüentemente, oro por eles. Na maioria das vezes, peço para que suas vidas sejam fáceis: "Meu Deus, livre meus filhos de todas as dificuldades e agressões desse mundo". Tenho pensado, entretanto, que é hora de alterar minhas orações. Essa mudança tem a ver com o fato de que é inevitável que os ventos gelados e fortes nos atinjam e aos nossos filhos. Sei que eles encontrarão inúmeros problemas e que, portanto, minhas orações para que as dificuldades não ocorram, têm sido ingênuas demais. Sempre haverá uma tempestade, ocorrendo em algum lugar, portanto, pretendo mudar minhas orações.

Farei isso porque, quer nós queiramos ou não, a vida não é muito fácil. Ao contrário do que tenho feito, passarei a orar para que meus filhos cresçam com raízes profundas, de tal forma que possam retirar energia das melhores fontes, das mais divinas, que se encontram nos locais mais remotos.

Oramos demais para termos facilidades, mas na verdade o que precisamos fazer é pedir para desenvolver raízes fortes e profundas, de tal modo que quando as tempestades chegarem e os ventos gelados soprarem, resistiremos bravamente, ao invés de sermos subjugados e varridos para longe.

fonte: mail de autor desconhecido

domingo, 1 de maio de 2011

Beato João Paulo II (Agência Ecclesia)

BeatoJoaoPaulo

Bem-aventurados os que creram sem terem visto


Santa Faustina Kowalska - Divina Misericórdia

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.
Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.
Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”.
Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”
Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e, para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.
João 20, 19-31

Poema à Mãe


No mais fundo de ti,
eu sei que traí, mãe

Tudo porque já não sou

o retrato adormecido
no fundo dos teus olhos.

Tudo porque tu ignoras

que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.

Por isso, às vezes, as palavras que te digo

são duras, mãe,
e o nosso amor é infeliz.

Tudo porque perdi as rosas brancas

que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.

Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez não enchesses as horas de pesadelos.

Mas tu esqueceste muita coisa;
esqueceste que as minhas pernas cresceram,
que todo o meu corpo cresceu,
e até o meu coração
ficou enorme, mãe!

Olha — queres ouvir-me? —
às vezes ainda sou o menino
que adormeceu nos teus olhos;

ainda aperto contra o coração
rosas tão brancas
como as que tens na moldura;

ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
no meio de um laranjal...

Mas — tu sabes — a noite é enorme,
e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber,

Não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E deixo-te as rosas.

Boa noite. Eu vou com as aves.
Eugénio de Andrade,
in "Os Amantes Sem Dinheiro"
fonte: Lume & Ar