domingo, 24 de julho de 2011

Santas Mães (RR - Oração da Manhã - 23 de Julho)

De uma forma tranquila, contou-me que a sua gravidez tinha sido complicada, cheia de exames, análises e preocupações. Mas nada a tinha preparado para o nascimento de um filho diferente. Nos primeiros meses, foi muito difícil aceitar a realidade, tratar daquele bebé, pensar no futuro.
Lembrei-me desta mãe, quando li a noticia de que, mais uma vez, o Santuário de Fátima vai proporcionar uma semana de férias para mães de filhos portadores de deficiências.
Senhor, eu Te peço, por todas as Mães, que cuidam destes seus filhos.
Mães que todos os dias repetem os mesmos gestos, de uma forma amorosa e persistente – dar de comer, lavar e vestir, ensinar a ler, a escrever, a carregar num botão, a segurar um lápis; Mães que ficam felizes com pequenas conquistas, com um sorriso, com um traço mais firme…
E Te peço, por todos os voluntários, que neste mês se tornam pais e mães, para tornar possível uma pequena pausa em tantas vidas heróicas e desconhecidas, santas e discretas.
Isabel Figueiredo

fonte: Oração da Manhã (RR)

ideal?

Se o teu ideal
divide e separa,
se o teu ideal
cega e ensurdece,
se o teu ideal
agride e mata,
então é muito triste
a tua realidade
e muito grave
o teu mal,
porque apenas criaste desordem
e Morte,
sobretudo do teu ideal.
Manuel Filipe Santos
(a propósito dos atentados na Noruega)
+++
Obrigado a MJS pelo retoque final!
+++

São Charbel



O santo de hoje nasceu no norte do Líbano, num povoado chamado Bulga-Kafra, no ano de 1828. Proveniente de uma família cristã e centrada nos valores do Evangelho, muito cedo precisou conviver com a perda de seu pai.

Após discernir o seu chamado à vida religiosa, com 20 anos ingressou num seminário libanês maronita. Durante o Noviciado, trocou seu nome de batismo (José) por Charbel. Mostrou-se um homem fiel às regras, obediente à ação do Espírito Santo e penitente.

Após sua ordenação em 1859, enfrentou muitas dificuldades, dentre elas a perseguição ferrenha aos cristãos com o martírio de muitos jovens religiosos e a destruição de inúmeros mosteiros em sua época. Em meio a tudo isso, perseverou na fé, trazendo consigo as marcas de uma vocação ao silêncio, à penitência e à uma vida como eremita.
Aos 70 anos, vivendo num ermo dedicado a São Pedro e São Paulo, com saúde bastante fragilizada, discerniu que era chegada a hora de sua partida para a Glória Celeste. Era Véspera de Natal. E no dia 24 de Dezembro, deitado sobre uma tábua, agonizante, entregou sua vida Àquele que concede o prêmio reservado aos que perseveram no caminho de santidade: a vida eterna.

São Charbel, rogai por nós

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Alastra a condenação internacional contra as violações dos direitos humanos no Irão

Ao protesto mundial contra a perseguição da Comunidade Bahá'í do Irão juntou-se o Senado Chileno, uma senadora muçulmana do Canadá e conhecidas organizações indianas.

"A detenção injusta"

No Chile, o Senado, por unanimidade, apelou ao presidente Sebastián Piñera para "condenar veementemente" o Irão pela sua "perseguição rigorosa e sistemática aos Bahá’ís." Numa resolução aprovada por unanimidade em 15 de Junho, o Senado chileno mencionou especificamente as detenções, no mês passado no BIHE, opondo-se à "injusta detenção dessas pessoas."
A resolução salienta ainda que, "desde 1979 o governo do Irão tem proibido sistematicamente o ensino superior aos jovens adeptos da sua maior minoria religiosa não-muçulmana, a grande comunidade Bahá'í, com mais de 300 mil crentes, e também tem procurado reprimir os esforços dos Bahá'ís para estabelecer as suas próprias iniciativas, incluindo o Instituto Bahá'í de Educação Superior (BIHE)."

Um apelo apaixonado

A Senadora Mobina Jaffer - que é a primeira senadora muçulmana do Canadá - falou durante mais de 15 minutos, em 21 de Junho, sobre a situação dos direitos humanos no Irão, condenando o país "pela campanha brutal de opressão contra os seus cidadãos" pedindo "novas medidas" ao Canadá para "chamar o Irão a prestar contas pelo seu tratamento inaceitável aos Bahá’ís."
E acrescentou: "Em Setembro passado, a ONU catalogou os abusos cometidos pelo Irão, incluindo tortura e crueldade, tratamento desumano ou degradante, execuções públicas e execuções de defensores de menores, o apedrejamento como medida de execução, a violação dos direitos das mulheres, as violações dos direitos das minorias e restrições à liberdade de reunião e de associação e à liberdade de opinião e expressão”.
No entanto, a maior parte do seu discurso, centrou-se no debate sobre a perseguição do governo iraniano aos Bahá’ís, dizendo que a situação "é uma questão a estudar sobre as reais intenções do governo iraniano no que respeita às suas obrigações dos direitos humanos."
"A perseguição enfrentada pelos Bahá’ís no Irão tem hoje poucos paralelos na história da humanidade", disse a senadora Jaffer. "Esta é uma comunidade com mais de 300.000 pessoas que há mais de 30 anos tem sido sujeita a uma política de Estado, muitas vezes explicitamente centrada na sua destruição. A intensidade da pressão sentida por esta minoria religiosa é quase impossível de imaginar para nós, canadianos, mas é nosso dever, como senadores, aliás como seres humanos, levantar as nossas vozes em solidariedade com a sua causa”.
"Os Bahá’ís enfrentam estas perseguições no Irão, porque uma linha dura da elite clerical vê a sua religião como ilegítima, e são, portanto, considerados apóstatas ou adversários do Islão. Essa atitude em relação aos Bahá’ís é transmitida por mentiras e desinformação, canalizadas através da comunicação social controlada pelo Estado. Os Baha’is são muitas vezes falsamente acusados ​​de serem agentes estrangeiros trabalhando secretamente contra a nação. O resultado de tais campanhas de desinformação é a de generalizar a ignorância que perpetua a cultura do preconceito ", disse ainda.
O debate formal sobre a "Investigação" da senadora, acerca do Irão, será retomado quando o Senado se reunir novamente no Outono.

O comportamento “vergonhoso” do Irão

Na Índia, individualidades proeminentes continuam a levantar as suas vozes contra a prisão de funcionários e docentes da faculdade BIHE.
A Fundação BETI (Better Education Through Innovation) em Lucknow - que se dedica à educação de raparigas - manifestou a sua "firme solidariedade condenando as acções perpetradas contra o Instituto Bahá'í de Educação Superior".

"É realmente surpreendente que a República Islâmica do Irão recorra a uma acção que, não só nega aos Bahá’ís os seus inerentes Direitos Humanos, como também vai contra os decretos do Sagrado Alcorão que repetidamente sublinha a necessidade de se adquirir a maior e melhor educação possível", escreveu Sehba Hussain, directora e fundadora da Fundação BETI e membro da Comissão Nacional de Protecção dos Direitos da Criança.
"As acções levadas a cabo pelo Governo do Irão são vergonhosas aos olhos dos verdadeiros crentes, bem como do Todo-Poderoso", escreveu a Sra. Hussain.
Numa carta ao embaixador iraniano na Índia, que acompanha uma petição assinada por 86 personalidades, Maja Daruwala - directora de Iniciativas dos Direitos Humanos na Commonwealth - expressou "forte condenação dos actos brutais de perseguição contra os Bahá’ís iranianos", particularmente "aqueles indivíduos associados ao nobre trabalho de proporcionar o acesso à educação dos jovens Bahá’ís, a quem tem sido sistematicamente negado o seu direito à educação ..."
"Pedimos também ao governo do Irão para honrar as suas próprias obrigações que estão subordinadas ao Pacto Internacional dos Direitos Económicos, Sociais e Culturais e permitir a todos os seus cidadãos o acesso ao ensino superior, independentemente da sua ideologia ou crenças", escreveu a Sra. Daruwala.

fonte: http://www.bahai.pt/noticia/202
Data: 2011-06-29

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Santa Maria Goretti



A Igreja, neste dia, celebra a virgem e mártir que encantou e continua enriquecendo os cristãos com seu testemunho de "sim" a Deus e "não" ao pecado. Nascida em Corinaldo, centro da Itália, era de família pobre, numerosa e camponesa, mas muito temente a Deus.



Com a morte do pai, Maria Goretti, com os seus, foram morar num local perto de Roma, sob o mesmo teto e uma família composta por um pai viúvo e dois filhos, sendo um deles Alexandre. Aconteceu que este jovem por várias vezes tentou seduzir Goretti, que ficava em casa para cuidar dos irmãozinhos. E por ser uma menina temente a Deus, sua resposta era cheia de maturidade: "Não, não, Deus não quer; é pecado!"

Santa Maria Goretti, certa vez, estava em casa e em oração, por isso quando o jovem, que era de maior estatura e idade, tentou novamente seduzi-la, Goretti resistiu com mais um grande não. A resposta de Alexandre foram 14 facadas, enquanto da parte de Goretti, percebemos a santidade, na confidência à sua mãe: "Sim, o perdôo... Lá no céu, rogarei para que ele se arrependa... Quero que ele esteja junto comigo na glória eterna".



O martírio desta adolescente, de apenas 12 anos, foi a causa da conversão do jovem assassino, que depois de sair da cadeia esteve com as 400 mil pessoas, na Praça de São Pedro, na ocasião da canonização dessa santa, e ao lado da mãe dela, que o perdoou também.

Santa Maria Goretti manteve-se pura e santa por causa do seu amor a Deus, por isso na glória reina com Cristo.

Santa Maria Goretti, rogai por nós!

Até logo, Bó!

Bó (Avó):

Quero dizer-te que ontem estavas linda.

Linda e com a imagem de alegria e carinho
que de ti guardo desde pequeno.
O teu rosto transmitia serenidade,
descanso e paz,
e o teu sorriso,
que mesmo na doença
soubeste conservar,
deu alento à nossa dor
pela tua partida.

No passado domingo, pedi a Deus

que, caso tivesses de partir,
fosses bem recebida nos Céus
e que o te fosse receber.

Acredito que foi isso que aconteceu.

E acredito que tenhas sido recebida,
não apenas por ele,
mas por muitos Anjos e Santos de Deus.
Acredito que a tua partida, no dia 4 de Julho
em que celebrámos a Rainha Santa Isabel,
não terá sido por acaso,
e rezo a Deus para que, na sua companhia,
e agora que estás nos Céus,
rezes tu agora por nós
que por cá ainda ficámos.

Com todo o carinho,

que alguém pode sentir
por um ser tão maravilhoso,
muitos beijinhos,
desta tua família,
Filipe, Xana,
Filipa, Catarina e Clarinha.
+++

terça-feira, 5 de julho de 2011

Maria de Lourdes Leite de Sousa Barbosa Ferreira

Fonte: Jornal de Notícias (2011.07.05) / Servilusa - Loja Portuense (Santa Catarina)

Faleceu

Seus filhos, nora, genros, netos, bisnetos e demais família participam o falecimento do seu ente querido, e que o funeral, com missa de corpo presente, se realiza(ou) hoje, terça-feira, pelas 10 horas, na igreja da Lapa, onde o corpo se encontra em câmara-ardente. Após as cerimónias religiosas irá a inumar, em jazigo de família, no cemitério do Prado do Repouso. Aproveitam para comunicar que a missa do 7º dia, pelo seu eterno descanso, será celebrada na próxima segunda-feira, dia 11, pelas 19,15 horas, na igreja da Senhora da Conceição (ao Marquês).
Maria Eduarda Barbosa Ferreira dos Santos, filha
Manuel Maria Henriques dos Santos, genro
Armando Carlos Barbosa Ferreira, filho
Maria Silvina Alves Saraiva de Aguilar, nora
Maria de Lourdes Barbosa Ferreira Ramalho Ortigão, filha
Francisco Manuel Carneiro Ramalho Ortigão, genro
Silvina Maria Barbosa Ferreira Duarte, filha
Delfim Rui da Silva Duarte, genro
Maria Elisa Ferreira, cunhada

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Rainha Santa Isabel



Nasceu na Espanha no ano de 1270. Pertencia à família real de Aragão, que lhe concedeu uma ótima formação cristã.

Foi entregue em casamento ao rei Diniz, rei de Portugal, com apenas 12 anos de idade, e já dava testemunho de uma esposa cristã, uma mulher de oração e centrada na Eucaristia e ajudou a propagar a grande devoção à Nossa Senhora da Conceição.

Aos 20 anos teve seu filho Afonso IV, que viveu muitos conflitos com o pai. Isabel era mulher de caridade e reconciliadora, vivendo isso bem a partir de sua família.

Era rainha, mas nunca esqueceu que também era irmã dos mais necessitados.

Uma de suas últimas obras de caridade talvez, foi cuidar do seu próprio esposo. Dom Diniz que tanto a fez sofrer, agora precisava dos cuidados de Isabel, que se dispôs, quis cuidar dele. Ele ficou doente em 1324 e faleceu no ano seguinte.

Então Isabel deixou a sua condição de viver no palácio como rainha e recebeu o hábito como franciscana, clarissa.

Em 1336 saiu de Coimbra e foi ao encontro de seu filho, devido a um novo conflito familiar. Mesmo com 66 anos e enferma conseguiu chegar. Foi acolhida e ouvida por seu filho.

Ali ela faleceu, mas foi enterrada em Coimbra, como era seu desejo. Está enterrada em uma Igreja dedicado a ela.

Santa Isabel, rogai por nós!

domingo, 3 de julho de 2011

The Way (Banda de seminaristas)



Uma banda formada só por seminaristas.

O objetivo deles é, por meio da música,
ajudar a despertar novas vocações.
Com vocês, a canção The Way.

fonte: Miles Ecclesiae
Visite: www.whynotpriest.org

São Tomé



Pertenceu ao grupo dos doze apóstolos. O Senhor o chamou dentro de sua realidade, com suas fraquezas e até com suas crises de fé.

Nosso Senhor Jesus revelou a nós coisas maravilhosas através de São Tomé:

"Tomé lhe disse: 'Senhor, nós nem sabemos para onde vais, como poderíamos saber o caminho?' Jesus lhe disse: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vai ao Pai a não ser por mim" (Jo 14,6).

Tomé nunca teve medo de expor a realidade de sua fé e de sua razão, que queria saber cada vez mais e melhor. Quando Jesus apareceu aos apóstolos ao ressuscitar, Tomé não estava ali, e aí encontramos seu testemunho: "Oito dias depois, os discípulos encontravam-se reunidos na casa, e Tomé estava com eles. Estando as portas fechadas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”. Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado e não sejas incrédulo, mas crê!” Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” (Jo 20,26-28).

O Papa São Gregório Magno meditando essa realidade de São Tomé diz: "A incredulidade de Tomé não foi um acaso, mas prevista nos planos de Deus. O discípulo, que, duvidando da Ressurreição do Mestre, pôs as mãos nas chagas do mesmo, curou com isso a ferida da nossa incredulidade".

Segundo a Tradição, Tomé teria ido, depois de Pentecostes, evangelizar pelo Oriente e Índia onde morreu martirizado, ou seja, morreu por amor, testemunhando a sua fé.

São Tomé, rogai por nós !

fonte: Miles Ecclesiae

 

Sonhar


Fonte: Zimbórios
+++
Maria Bethania declamando Fernando Pessoa
e cantando" Sonhar".

Eu tenho uma espécie de dever
que é dever de sonhar
e sonhar sempre
pois sendo mais do que uma
espectadora de mim mesma
eu tenho que ter o melhor
espectáculo que posso
e assim me construo a
ouro e sedas
em salas supostas
invento palco, cenário
para viver o meu sonho
entre luzes brandas
e músicas invisíveis
Fernando Pessoa
fonte: Pensador

Sonhar

Mais um sonho impossível
Lutar
Quando é fácil ceder
Vencer
O inimigo invencível
Negar
Quando a regra é vender
Sofrer
A tortura implacável
Romper
A incabível prisão
Voar
Num limite improvável
Tocar
O inacessível chão
É minha lei
É minha questão
Virar este mundo
Cravar esse chão
Não me importa saber
Se é terrível demais
Quantas guerras terei que vencer
Por um pouco de paz
E amanhã
Se esse chão que eu beijei
For meu leito e perdão
Vou saber que valeu delirar
E morrer de paixão
E assim
Seja lá como for
Vai ter fim a infinita aflição
E o mundo vai ver uma flor
Brotar
Do impossível chão
Sonho Impossível
Composição: Joe Darion, Mitch Leigh
(versão em português de Chico Buarque)
Fonte: http://letras.terra.com.br/chico-buarque/86054/