sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Os Anjos

De todas as criaturas de Deus,
serão talvez os Anjos aquelas em que menos penso.
A Igreja ao fazer memória dos três Arcanjos
S. Miguel, S. Gabriel e S. Rafael,
lembra-me a sua existência e a sua missão.

Apesar de serem inúmeras as referências
que deles encontro nos Evangelhos
e de rezar todos os dias ao meu Anjo da Guarda
reconheço que não lhes tenho dado a importância devida

Sendo puros espíritos, têm inteligência e vontade,
e, portanto, liberdade.
Vivendo em permanente contemplação de Deus,
foram Seus mensageiros junto dos homens,
participando activamente na história da Salvação.

Como não hei-de estar grato a S. Miguel que derrotou Lucífer?
A S. Rafael que leva até Deus as orações dos justos?
A S. Gabriel que trouxe o anúncio feito a Maria?

Como posso esquecer o Anjo de Portugal
que veio à Cova da Iria preparar os Pastorinhos para a missão
que lhes estava destinada e que viria a mudar
a história dos homens do meu tempo?

Os Anjos vêem já o que eu um dia espero ver
e gozam já da plenitude a que sou chamado
desde o dia em que por Deus fui pensado e desejado.

É pois tempo de lhes pedir que por mim intercedam
para que a minha inteligência acolha a sabedoria do Céu,
a minha vontade me conduza para o bem
e a minha liberdade se realize plenamente na adesão à verdade
que a Igreja maternalmente me revela.

Rui Corrêa d’Oliveira
fonte: Oração da Manhã (RR)
Ouvir

Nenhum comentário:

Postar um comentário