domingo, 17 de fevereiro de 2013

Não há nada a temer (ACIM / UCEM 48)



Não há nada a temer
1. A ideia para o dia de hoje simplesmente declara um facto. Não é um fato para aqueles que acreditam em ilusões, mas ilusões não são factos. Em verdade, não há nada a temer. É muito fácil reconhecer isso. Mas é muito difícil para aqueles que querem que ilusões sejam verdadeiras.
2. Os períodos de prática de hoje serão muito curtos, muito simples e muito frequentes. Apenas repete a ideia com a maior frequência possível. Podes usá-la com os olhos abertos a qualquer hora e em qualquer situação. Todavia, é fortemente recomendado que sempre que for possível, feches os olhos e passes mais ou menos um minuto repetindo a ideia para ti mesmo, lentamente, várias vezes. É particularmente importante que uses a ideia de imediato se algo vier perturbar a paz da tua mente.
3. A presença do medo é um sinal seguro de que estás confiando na tua própria força. A consciência segundo a qual não há nada a temer mostra que, em algum lugar na tua mente, embora não necessariamente em um lugar que reconheças por enquanto, tu te lembraste de Deus e deixaste a Sua força tomar o lutar da tua fraqueza. No instante em que estás disposto a fazer isso, de fato, não há nada a temer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário