domingo, 29 de abril de 2018

Não vou dizer nomes


Não vou dizer nomes porque quero compreender
mas ao longo da vida tenho conhecido muitas pessoas que por menos boas razões não me deixam adormecer.
São pessoas que facilmente me irritam, pessoas que me tiram do sério e facilmente me descontrolam. Não vou dizer nomes porque quero perdoar mas essas pessoas têm o condão de me tocar e muito facilmente incomodar. Como se o facto de as conhecer fosse um teste, um teste que não vou passar e por mais que tente sempre irei chumbar. Por mais que me esforce nunca irei conseguir provar que aquela atitude eu consigo engolir. Apesar de aquele comportamento eu conseguir identificar, sempre fico vítima de o querer modificar.
Não vou dizer nomes porque todos quero Amar. Na verdade, não vou dizer nomes porque os nomes são um só. É o nome que há em mim e que eu não perdoo. É o nome que há em mim e eu não aceito. É o nome que há em mim e ainda não Amo.
Ajudai-me Senhor a ser o meu nome em plenitude. Ajuda-me Senhor a Ser. Não apenas Manuel Filipe mas também todos os nomes. Aqueles de que gosto mas também todos os outros, mesmo aqueles que ainda não conheço mas sobretudo todos aqueles que me assustam, me provocam e atacam.
Que a todos eu aceite, que a todos eu integre e que a todos saiba Amar. Oeiras, 29 de Abril de 2018. Manuel Filipe Ferreira dos Santos.