segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Almas sozinhas (parte 1)



Pelos vales da vida a mente vagueava
quando em almas sozinhas seu olhar se fixou.
Mas consigo própria ela se deparou,
pois neste grupo também se encontrava.

Almas perdidas, pelo mundo inteiro,
passeiam sem rumo, a todo o momento.
São como crianças que em desalento
clamam ajuda em pranto berreiro.

A sua procura de carinho e atenção
é fio condutor da vida, pois então...
Que mais há no mundo para se querer?

A todas queria chamar à razão,
àquela que se vive com o coração,
pois no Amor que se dá, se deve Viver.

Pensando nas pessoas que querem Poder,
pensando naquelas que querem matar,
por todas pedi que possam saber
como é feliz quem sabe Amar.

É bom para a Alma não esquecer
por que motivo deve lutar.
Que não seja tanto pelo que quer ter
mas sempre mais pelo que quer dar.

A grandeza da pessoa está mais no coração,
do que no juízo
do seu irmão.

Mas há na vida uma lei que não falha:
É aquilo que nela semeamos
que no final sempre nos calha!

Manuel Filipe Santos.
+++
Dedicado à minha Xanoca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário