quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Agostinho da Silva


“ (…) Eu ponho como possível uma teoria nova de se nascer.
Quando chegou a minha hora de nascer no céu das ideias, estava atento ao globo terrestre que me ia passando pela frente à espera de encontrar uma terra que me agradasse. E como eu estavam outros: quer dizer, toda a gente escolhe o lugar onde nasce. Que nascer não é uma fatalidade, mas uma escolha pré-consciente (…).
Eu o que escolhi foi Barca d’ Alva, que é a última terra portuguesa antes da fronteira com Espanha (…).
in Antena5

Nenhum comentário:

Postar um comentário