domingo, 16 de setembro de 2012

Aconteceu na Islândia; e em Portugal?


«Nesta pequena nação de 320.000 habitantes a voz da classe política burguesa tem sido substituída pela do povo indignado perante tanto abuso de poder e roubo do dinheiro da classe trabalhadora. O mais admirável é que esta guinada na política sócio-económica islandesa aconteceu de um jeito pacífico e irrevogável. Uma autêntica revolução contra o poder que conduziu tantos outros países maiores até a crise atual.
Este processo de democratização da vida política que já dura há dois anos é um claro exemplo de como é possível que o povo não pague a crise gerada pelos ricos».
fonte: Zimbórios
DIGNO DE SER PARTILHADO.
Eu já partilhei, agora é a tua vez!
fonte: Tá Bonito

O caso the Portugal é bastante particular e não há fórmulas que sirvam para todos mas espero que consigamos sair desta crise. Muitas e relevantes figuras da sociedade portuguesa se têm manisfestado contra a atual situação.

Mails a circular e manifestações são muito importantes, particularmente quando apelam a uma mudança pacífica, sem violência.
Ainda nos falta muita organização. Mas hoje, só não seremos organizados se não quisermos. As manifestações de ontem foram um sinal claro da insatisfação que se generalizou a muitos portugueses. Muitos mails têm circulado dando sinais dessa mesma insatisfação que se alargou a várias áreas de orientação política e a diferentes camadas da sociedade. Mas esta elevada circulação de mails não fica registada...
Bom exemplo disso é o mail que aqui passo a transcrever, apesar de referências já muito antigas a este mesmo texto, como uma de Janeiro que poderá ser encontrada em Portugalíssimo:
+++++++++++++
INICIO DO MAIL
+++++++++++++
Alteração da Constituição de Portugal para 2012,
já em marcha!

Pensam que poderá ser uma ideia interessante?
Se sim, muito bem, toca a actuar.
Se não, paciência, não façam nada.

Alice Carvalheira R. Borges
Universidade de Lisboa - Serviços de Acção Social
Gabinete Jurídico

Tel. 21 781 74 40 Ext. 305

E-mail; alice.borges@sas.ul.pt

Assunto: Alteração da Constituição de Portugal para 2012

Peço a cada destinatário deste e-mail que o envie a um mínimo de vinte pessoas em sua lista de contactos, e por sua vez, peça a cada um deles que faça o mesmo.

Em três dias, a maioria dos portugueses lerá esta mensagem. Esta é uma ideia que realmente deve ser considerada e revista por todos os cidadãos.

Alteração da Constituição de Portugal para 2012 para poder atender o seguinte, que é da mais elementar justiça:

1. O deputado será pago apenas durante o seu mandato e não terá reforma proveniente exclusivamente do seu mandato.

2. O deputado vai contribuir para a Segurança Social de maneira igual aos restantes cidadãos.
Todos os deputados ( Passado, Presente e Futuro) passarão para o actual sistema de Segurança Social imediatamente. O deputado irá participar nos benefícios do regime da S. Social exactamente como todos os outros cidadãos. O fundo de pensões não pode ser usado para qualquer outra finalidade. Não haverá privilégios exclusivos.

3. O deputado deve pagar seu plano de reforma, como todos os portugueses e da mesma maneira.

4. O deputado deixará de votar o seu próprio aumento salarial.

5. O deputado vai deixar o seu seguro de saúde actual e vai participar no mesmo sistema de saúde como todos os outros cidadãos portugueses.

6. O deputado também deve estar sujeito às mesmas leis que o resto dos portugueses

7. Servir no Parlamento é uma honra, não uma carreira. Os deputados devem cumprir os seus mandatos (não mais de 2 mandatos), e então irem para casa e procurar outro emprego.

O tempo para esta alteração à Constituição é AGORA. Forcemos os nossos políticos a fazerem uma revisão constitucional.

Assim é como se pode CORRIGIR ESTE ABUSO INSUPORTÁVEL DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA.

Se você concorda com o acima exposto, ENTÃO VÁ PARA A FRENTE.

Se não, PODE DESCARTÁ-LO.

Você é um dos meus 20 contactos.

Por favor, mantenha ISTO A CIRCULAR.
+++++++++++++
FINAL DO MAIL
+++++++++++++  

Procurei na net por alguma petição com este pedido e encontrei duas entradas, uma dirigida ao 1º Ministro (atualmente com 109 subscrições) e outra à Assembleia da República (atualmente com 486 subscrições). Enviei o seguinte mail ao autor das petições mas ainda não tive resposta:
++++++++++++++++++++++++++++
Início do mail enviado ao autor da petição
++++++++++++++++++++++++++++
Existem duas petições com este mesmo texto, uma dirigida ao 1º Ministro e outra à Assembleia da República:

http://peticaopublica.com/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=P2012N23182
+
http://www.peticaopublica.com/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=P2012N18866
Existe algum motivo para este facto?
Não é possível juntar as duas apenas numa?
Queria publicitar a petição mas acho que o facto de existir mais do que uma prejudica a sua divulgação.
Obrigado,
MFS.
++++++++++++++++++++++++++++
Final do mail enviado ao autor da petição
++++++++++++++++++++++++++++

Assim que tiver alguma resposta do autor da petição aqui será publicada.
Até lá, aguardemos.

Nota importante:
Algo que ainda não fiz, mas tenciono fazer para a semana, é contactar Alice Borges, cf acima referido.
Aqui darei conta do resultado desse contacto.

Um abraço a todos,
sempre com muita coragem,
Manuel Filipe Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário